Médicos alertam sobre riscos de acidentes envolvendo crianças

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
11/04/2019 18h14
0 Comentários

A curiosidade infantil, a falta de um adulto responsável por perto, são alguns dos principais causadores de acidentes domésticos com crianças na faixa etária de 1 a 4 anos. O alerta é dos médicos que trabalham nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em Palmas, que têm visto um crescimento no número de atendimentos por intoxicação, mordida de animal, quedas, queimaduras e sufocação nas últimas semanas.

 

“Quando ouvimos os relatos de como os acidentes acontecem geralmente a história é sempre a mesma, são crianças que estavam sendo cuidadas por outras crianças maiores, ou por idosos. Um dos acidentes mais comuns aqui em Palmas é a ingestão do sabão produzido de forma caseira, popularmente conhecido como sabão de soda. Nesse caso a criança pode sofrer queimaduras de leves a graves tanto da região bucal como do sistema gástrico. Os pais precisam ficar atentos e manter fora do alcance das crianças produtos ou objetos que possam causar algum dano a saúde dos pequenos”, orienta a médica plantonista da UPA Norte, Ana Paula Pedreira.

 

Crianças, principalmente as menores, passam muito tempo em casa onde se acredita ser o lugar mais seguro, mas é nesse ambiente que existem muitos objetos que representam potenciais riscos de acidentes. Como a ingestão de moedas, bolas de gude, pequenos objetos, medicação indevida, brinquedos, produtos de limpeza, perfurações com objetos cortantes entre outros, são acidentes que poderiam ser evitados com medidas simples e um pouco mais de atenção.

 

Para evitar acidentes domésticos, a médica explica que cuidados específicos devem ser levados em consideração para cada cômodo da casa, no banheiro por exemplo, o ideal é manter a tampa da privada e a porta sempre fechadas. Antes do banho o ideal é testar a temperatura da água para evitar queimaduras e a criança nunca deve ficar sozinha na banheira sem supervisão. Ela lembra que caso guarde medicamentos no banheiro, antissépticos bucais e demais produtos que ofereçam perigo de intoxicação, os mesmos devem ficar em um local de difícil acesso à criança.

 

Um dos lugares mais perigosos é a cozinha, por isso, Ana Paula ressalta que nunca é demais lembrar que os cabos das panelas estejam virados para dentro do fogão. Sacos plásticos, fósforos, isqueiros, álcool, objetos de vidro, cerâmica e facas devem estar fora do alcance dos pequenos.

 

Para dormir tranquilo, a médica explica que no quarto o melhor é não posicionar camas e qualquer outro móvel perto de janelas, uma vez que podem ser usados para escalar. “Ao escolher brinquedos, considere a idade e a habilidade da criança e busque sempre o selo do Inmetro. As sufocações podem ser causadas por brinquedos, travesseiros e lençóis dentro do berço”, conta.

 

A orientação para a lavanderia é que os produtos de limpeza sejam guardados em lugares altos ou trancados. Além disso, a médica explica que é importante conservar os mesmos em seus recipientes originais. Se a casa possuir piscina, essas devem ser protegidas com cercas que não possam ser escaladas e portões com cadeados ou trava de segurança que dificultem o acesso dos pequenos. Ela lembra ainda que quando a criança for usar a piscina, a supervisão de um adulto o tempo todo é essencial.

 

“Caso aconteça algum acidente com a criança o ideal é procurar uma UPA ou Centro de Saúde da Comunidade (CSCs) imediatamente para o tratamento adequado”, orienta a médica, que lembra ainda que os responsáveis não devem medicar as crianças sem antes passar por uma consulta e prescrição médica.

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.
REVISTA HELLO
Cadastre o seu e-mail e receba as novidades do site.