Ator Marco Esch, de Resende, faz participação no filme nacional ‘Polícia Federal: A Lei É para Todos’

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
13/09/2017 23h01
0 Comentários

odo ator sempre espera poder participar de um bom filme, uma boa trama, ou interpretar um papel que marque sua carreira. E trilhando esse caminho com uma linda trajetória, o ator resendense Marco Esch acaba de participar do longa nacional “Polícia Federal: A Lei É para Todos”, do diretor Marcelo Antunez. Seguindo a tese do “nunca é tarde para começar” e do “sempre é tempo de sonhar”, Marco Esch tem sido destaque no Sul Fluminense pelos diversos trabalhos de relevância como ator, mesmo com o pouco tempo na profissão.

Tendo sua estreia na importante e significativa data de 7 de setembro, o filme “Polícia Federal – A Lei é Para Todos” chegou como uma bomba no mercado cinematográfico brasileiro. Com orçamento em torno dos 16 milhões e com projeto de ser uma trilogia, buscando seguir os passos e bastidores da “Lava-Jato”, maior operação anticorrupção da história, o longa-metragem estreou com cinemas lotados em todo o país e caminha para ser o filme brasileiro de maior sucesso de bilheteria dos últimos tempos.

– A oportunidade partiu através de uma agência do Rio de Janeiro. Eu soube que estavam precisando de um ator e me candidatei. Imaginei que era uma figuração simples, mas quando cheguei para gravar percebi que não – conta Marco, que interpretou o doleiro Carlos Habib Chater, um dos primeiros personagens da Operação Lava Jato. O doleiro, proprietário de uma casa de câmbio, uma lavanderia e um posto de combustíveis, em função de seus negócios ilícitos ligados diretamente à presidência da república e partidos políticos, acabou sendo um dos primeiros presos dessa operação.

Marco afirma que não contracenou com nenhum ator, pois foi uma cena isolada, mas mesmo assim não cabe em tanta alegria.

– Esse trabalho, com certeza, me abrirá novos horizontes e me dará mais visibilidade, até porque esse filme vai marcar história – comenta, afirmando que esse papel já o coloca em posição privilegiada em sua recente carreira, pois até seis anos atrás, nem pensava que seria ator um dia. “Foi em uma simples participação em peça teatral, que acabei obtendo destaque em meus personagens, tanto em uma comédia como no drama que participei, ambas as peças apresentadas ao longo de dois anos”.

Segundo ele, logo após, fez algumas figurações para a Rede Globo e alguns filmes de cinema, usando as oportunidades como oficina e escola para conhecer o ambiente, vindo a se apaixonar pelo meio, passando assim, a estudar e se dedicar até conquistar seu registro profissional como ator no ano de 2015 pelo SATED-RJ.

– A partir daí não parei mais. Participei de alguns comerciais para TV, teatro, filmes e também me envolvi com produção de cinema, já tendo assinado parte da produção e direção de arte de dois curtas e um média-metragem, todos produzidos em Resende – diz.

Participação: Marco interpretou o doleiro Carlos Habib Chater, um dos primeiros personagens da Operação Lava Jato (Fotos: Divulgação)

Participação: Marco interpretou o doleiro Carlos Habib Chater, um dos primeiros personagens da Operação Lava Jato (Fotos: Divulgação)

Bem representando

O Sul Fluminense vem revelando nos últimos anos, vários nomes para a TV e cinema. Marco lembra de alguns que ganharam fama, como Nanda Costa (Paraty) que, junto com Vanessa Giácomo (Volta Redonda), estrelam o elenco da novela Pega Pega. Tem ainda a Nívea Stelmann (Paraíba do Sul). Vale lembrar que Maria Della Costa morava em Paraty, Virgínia Lane em Piraí e pouca gente sabe, mas a atriz Elisângela, a Aurora, mãe da Bibi em “A Força do Querer”, é nascida em Resende.

– Mesmo tendo iniciado a carreira relativamente tarde, pois já sou um cinquentão e a maioria dos atores inicia bem cedo, vejo essa oportunidade que a vida está me dando como um presente de Deus. Ter feito parte do filme “Polícia Federal” é algo inesquecível, pois retrata a nossa história atual e que ficará marcada para sempre através desse filme. Sou um cara simples, que ama a vida, a natureza. Fico feliz com a diversidade humana que não nos deixa monótonos nessa terra, e creio que em tudo há um propósito divino. Se Deus me permitir continuar caminhando como ator, certamente buscarei levar um pouco de alegria, esperança e felicidade através da minha arte – diz Marco Esch, que também é cantor, produtor artístico e está escrevendo seu primeiro livro.

Marco Esch: ‘Esse trabalho, com certeza, me abrirá novos horizontes e me dará mais visibilidade’

Marco Esch: ‘Esse trabalho, com certeza, me abrirá novos horizontes e me dará mais visibilidade’

 

Histórico no cinema

Como ator no cinema nacional, além de “Polícia Federal – A Lei é Para Todos”, Marco Esch também teve participação nos filmes:

– Longa “Turbulência” (2016) como piloto de avião, junto a Monique Alfradique e Arthur Vinciprova;

– Longa “A Esperança é a Última que Morre” (2016) como chefe de jornalismo junto a Dani Calabresa, Katiuscia Canoro, Augusto Madeira entre outros;

– Longa “Um Voo Para a Liberdade” (2014) como empresário romântico ao lado da atriz protagonista;

– Média “As Flores de Maria” (Festivais 2017) como dono de borracharia junto a Sergio Hondjakoff;

– Média “Notáveis Dias com Alice” (Festivais 2017) como marido e pai, junto a Isabela Garcia (esposa) e Suely Franco (sogra);

– Curta “Antionti Fez Fri” (Festivais 2014) – ator principal como caipira Matuito (Filme selecionado para mostra no 8º Festival Internacional de Cabo Frio/RJ em 2014 e entre os três finalistas para a disputa da estatueta do 3º Festival Internacional de Cinema Cristão/RJ em 2015; ambos na categoria “Curta de Humor”).

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.
REVISTA HELLO
Cadastre o seu e-mail e receba as novidades do site.